27 março 2015

Sentimentos que nunca serão palavras.

Ajo como se estivesse bem, mas não estou. 
Dizem que é um coração partido, mas meu corpo inteiro dói. E eu tenho a necessidade de externar isso. Meu vô sempre dizia que quando temos nós na garganta, eles precisam ser desatados para que o nosso corpo não adoeça. Mas é estranho porque há sentimentos que nunca serão palavras. E nem sei ao certo sobre o que escrever. 
Tem duas semanas que não consigo esquecer aquela conversa e me culpo por isso. Por não ter percebido teus sentimentos ou por não ter entendido ao certo o que você queria me falar com o seu silêncio. Eu costumava dizer pra você que o silêncio era um texto fácil de ser interpretado errado, mas você tinha uma mania de querer conversar em silêncio e o pior de tudo é que quando passávamos algumas horas dessa forma parece que tudo se resolvia. Mas descobri uns anos depois que era apenas ilusão nossa. Nunca resolveu nada, só nos deixou com dúvidas sobre nós mesmos (na realidade esse "nós" nunca existiu) e sobre o sentimentos que nos aterrorizavam, eu sei que é uma palavra forte, mas o seu "E SE" sempre foi motivo de insegurança e principalmente, de nada ter dado certo. 
Eu vejo aquelas fotos e lembro do sorriso que eu sempre dei por te ver naquele mesmo canto, por sentir aquele mesmo cheiro, e daquele abraço apertado que você me dava. E engraçado é que agora, eu sei exatamente o que você está fazendo. Isso sempre foi motivo de briga lembra? Você era previsível demais e quando mudava alguma coisa da sua rotina mandava uma mensagem avisando o que ia fazer. Já eu... Você nunca sabia onde eu estava, você nunca sabia o que eu estava fazendo, em meio ao dia-a-dia eu te ligava pra dizer que ia aparecer na sua casa e você dizia a mesma frase: não me acostumo com esse teu jeito imprevisível de ser.
Só tinha uma coisa que você sabia.
Que eu olhava pra você de uma forma que eu nunca olhei pra outra pessoa.
Não.. Não é mais uma daquelas frases que usamos parar dizer que amamos uma pessoa que conhecemos há.. um mês (ou menos). É uma frase que sempre me fez lembrar, pensar, sorrir, chorar e sentir você. Porque nunca teve alguém que foi capaz de me olhar daquela forma como você olhou quando abriu o portão.

Reações:

6 comentários:

  1. Andressaaaa! *-*
    Não acredito que tu voltou! :e :e :e :e :e
    Que saudade que eu tava c@r@lh*! :s
    Você está bem?
    Pelo texto, sofrendo um pouquinho...

    ResponderExcluir
  2. Não há nada que me faça escrever tão bem quanto uma dor.

    Saudade Té! :t

    ResponderExcluir
  3. Na verdade, e é verdade mesmo, são lembranças que vão está sempre ai, não importa quanto tempo passe, sempre vamos lembrar, na maioria das vezes doí, e com o tempo parece que essa dor passar, mas só nos acostumamos com ela...

    Ps: Tentando voltar...

    ResponderExcluir
  4. Oi,Dessa!nossa quanto tempo, sinta-se abraça, que saudades de ti guria!!Que bom que tu voltou, tem dores que acho que nem o tempo é capaz de curar, ele só diminui de tamanho e talvez cicatrize a ferida,mas qualquer movimento brusco pode reabrir a ferida. Beijosss

    ResponderExcluir
  5. Que bom ver você postando de novo =)

    ResponderExcluir
  6. Bom ver você de volta.
    O silêncio, às vezes nos fala muito, já em outras é só uma pausa.
    Tempo e sabedoria é o que tu precisas agora. Tempo pra digerir e sabedoria pra seguir.

    Beijo

    ResponderExcluir