07 novembro 2011

Agridoce.



 Os risos no canto da boca que me tiram do sério. É fácil ver a vida alheia cair como peças de dominó. É o choro, a decepção, a desgraça do outro que te faz feliz. Poderia ser mais simples se a felicidade do outro fosse a sua. Não, no meu jardim não tem as flores mais bonitas mas são minhas! Na minha horta, não nasce pé de paixão pois a terra não tem adubo, não tem quem adube. Mas meu pé de solidão cresce demais. Doce, amarga solidão. Agridoce, melhor. Como do que eu planto. As pessoas me assustam nos mínimos detalhes e me entristecem só de existir. A existência é algo extremamente triste, a minha ou a sua.




Reações:

11 comentários:

  1. "As pessoas me assustam nos mínimos detalhes e me entristecem só de existir."
    Extremamente verdadeiro, adorei.

    (F)

    http://amar-go.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o primeiro comentário.
    Mas não ficou "meio" não...
    ficou totalmente!

    ResponderExcluir
  3. Inspiração.

    Lindo e doloroso ao mesmo tempo.
    Me vi assim. Ainda me vejo...

    ResponderExcluir
  4. que solidão
    e tristeza que decepção
    envolve todo esse
    momento.
    linda semana
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Triste saber que é praticamente um fato o que disse. Triste e bonito. Parece poesia.

    ResponderExcluir
  6. Pior do que a existência, só a convivência, conviver acaba com tudo!

    Parece que é um malq ue está assolando a todos, pessoas que se preocupam demais com a vida alheia, isso é foda ¬¬

    Amei o texto, inspiradíssima você anda!! =**

    ResponderExcluir
  7. Excelente blog parabéns,faça uma visita lá no blog MEU ESTILO e confira tudo o que rola por lá.
    Beijos, aguardo sua visita.
    www.meuestilogugafernandes.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Andressa qt tempo, ando sem tempo de ver os blogs, hj dei uma baixa em alguns que amo q tem textos legais, e olha o que eu achei um texto lindo e com clareza, ai tava mesmo com saudades, bjusss

    ResponderExcluir
  9. Às vezes, quando alguém me faz mal de propósito ou quando é cruel com quem eu gosto, sinto um certo prazer em ver a criatura se estrepar.

    Sei que não é bonito mas sinto.

    Agora, ter a felicidade atrelada à desgraça alheia é muita pobreza de espírito, concordo contigo.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  10. Muito legal, sempre bom estar aqui.
    Obrigada por seu carinho no Delírio da Bruxa.
    Um beijo
    Denise

    ResponderExcluir