17 novembro 2010

uma chuva azul,




Relógio com a hora atrasada, não é mania e sim uma forma de me iludir achando que mais um dia está passando diante os meus olhos e estou sendo feliz. Sou muito prolixo na arte de amar, mais ainda quando resolver fingir minha felicidade. Ah, não esquece de se curvar ao entrar, minha casa demarcas pequenas e manias estranhas requer respeito e amor sincero. Mas sinceridade é uma coisa que não espero muito, principalmente vindo de uma pessoa cética, capaz de oferecer um amor que nunca existiu, sei que não posso cobrar sentimentos, pois os meus são quase nulos, mas os que eu tinha por você eram sinceros, sagrados pra mim até, mas tinha um tom de azul, cor essa que me lembra você.

Justamente por ser triste e trazer paz ao mesmo tempo é que não me importo com o que vão pensar quando me verem chorando por ti. Ondas me arrastando, dias se arrastando em mim. Estradas cheias de buracos com o acostamento liso, acostamento da vida, do amor, dos sonhos decapitados por nós mesmos. Quem sabe um dia não torne tão difícil o que sentimos. Ninguém vai te devolver a felicidade que foi jogada ao vento. É na paz das tempestades que você vai me achar, ou se livrar.

 O bom de tudo é temos que ver o belo até mesmo nas coisas mais tristes, como um dia frio e chuvoso sem você, como uma onda furiosa, me comparo inclusive a ela, hora calma, hora agitada, e talvez por causa disso seu medo de mergulhar fundo no meu mar interno, ou quem sabe nas minhas chuvas que saem dos meus olhos sem ter você, sua indecisão, seu afastamento provocado pelo maremoto dos meus sentimentos causa em mim uma dor pulsante, que me fez ter vontade simplesmente do nada. Sou eu,eu mesma e não tenho medo, já mastiguei pregos em silêncio, sorri escandalosamente de forma insana e fora de moda, traguei meu cigarro contra o vento e recebi toda fumaça de nostalgia em meu rosto, iludiu meus olhos com falsidades, trouxe paz dolorosa e senti mais falta de ti nas ruas por onde andávamos. Ninguém consegue me entender, tampouco sentir. Eu não dependo tanto de ti, não vou te procurar, não de forma pensada, te caço em meus sonhos reais, em nossas fantasias banais que foram escondidas em nossas faces. Arrisquei, tentei, te amo menos do que ontem, não vejo mais teu reflexo no meu espelho, e nem sinto mais teu perfume em mim. Desisti.


texto feito por mim: andressa tavares e carlinhos lagos


Reações:

8 comentários:

  1. Que as estações passem, que a vida chata nunca nos aporrinhe. Que o teu sorriso,tua brandura aliada a essa imensa coragem que tens nunca se esgotem. Que a tua estrada seja sempre repleta de inúmeras alegrias e sucesso. Hj,agora,e sempre.

    Te admiro,ok?

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim, amigos! *.*
    Isso foi tão forte, amei, amei mesmo! Porém, flor, não desiste do amor assim, não, levanta acabeça, e faz curativo em tuas feridas, te ergue, enche o peito e segue me frente, decepção e frustração a gente vai enfrentar a vida toda, e é por isso que a vida é uma puta de uma injusta, com o perdão da palavra.
    É admirável o modo como escreves (:

    ResponderExcluir
  3. O bom de tudo é temos que ver o belo até mesmo nas coisas mais tristes...miga que mais tenho a dizer?Amei♥, só quero te ver bem viu!
    bj

    ResponderExcluir
  4. Nossa sem palavras pra esse texto lindo
    amei!

    Beijos e otimo fim de semana *.*

    ResponderExcluir
  5. Ninguém precisa entendê-la, és linda a teu modo, e te admiro por isso.

    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. E eu adianto o relógio em 10 minutos para ter o mesmo resultado...serei doida? oO

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  7. Desculpa..Vc não tem nada haver com as coisas que acontecem comigo! Fui grossa ontem e não queria, o melhor mesmo é ficar fora do ar..Mas gosto de vc, por isso falei, desculpa..De verdade!

    ResponderExcluir
  8. Os tombos que tomamos nos fazem levantar ainda mais fortes.
    Nos deixam feridas, é verdade...
    É inevitável.
    Elas marcam para sempre.
    Podem demorar um certo tempo para cicatrizar...
    E nunca desaparecem de verdade.
    E de vez em quando podem latejar, só pra lembrar que um dia estiveram ali.
    Mas são essas marcas que vão formando as pessoas que somos.
    São elas que nos fazem aprender, que nos fazem crescer.
    São os tombos, as quedas, que nos fazem buscar alguma maneira de ir mais longe, de tentar de novo, de reerguer, e agora, com alguma força que não sabemos de onde brota.

    Sei que você tem essa força aí...
    E você também.

    Se precisar, sabe que estou aqui.
    Gosto muuuito de ti!

    o post ficou lindo.
    BeijO enorme e abraço apertado.

    ResponderExcluir