20 novembro 2011

Das conversas com Peu.



Deixa eu te dizer uma coisa Peu, existe uma diferença enorme entre o que você quer, e aquilo que é melhor pra você. Se você não sabe o que fazer, deixa que eu te digo : Manda esse teu medo ir embora, ele ta ocupando o lugar da tua felicidade. Olha, eu sempre soube de tudo que acontecia dentro dessa tua cabeçinha, tudo. E nunca me afastei porque sabia que você precisava de mim. Não posso apagar tudo, por causa de erros que nós cometemos agora... eu não posso apagar um passado, por causa de um erro. Você sabe que perdoo tudo muito fácil. Mas que me magoo com mais facilidade ainda. Sim, é por preguiça de carregar rancor que perdoo. E assim, meu coração bate mais aliviado. E olhe que você sabe que sempre fui abusada. Eu sei. Eu sei que o erro não foi comigo, mas de certa forma me atinge porque foi você que cometeu. Pelo menos você amadureceu. Só não deixou o sorriso de moleque. Assim como eu nunca vou mudar meus olhares. Olha... eu sei que você está em um daquele momentos que o silêncio parece fazer mais sentido do que qualquer outra palavra, mas vamos lá... a vida continua. Veja, eu estou aqui. Estou fazendo de tudo para sair um sorriso do seu rosto. Mas você só chora. Você só lamenta. Pare de se culpar. As coisas não são tão ruins assim como parece. Olhe se você não conseguir esquecer essa dor, eu te indico uns analgésicos. Eu mesma tomei dia desses. Para... Para de dizer que não vai conseguir, você vai... no final dessa conversa, você já vai ter trocado o "Eu não vou conseguir" pelo " Daqui a pouco passa" ... Você sabe que vai passar, assim como tudo na vida. E tudo que for pra ser vai ser. Eu prometo que vai passar. Você tem alguma coisa a me dizer?

- Quando uma pessoa realmente tem importância, você não desiste dela por nada. Eu estou me sentindo importante. E estou com uma vontade enorme de sorrir, mas é só... não sei o que fazer agora... queria fazer alguma coisa de antes... de quando nós éramos crianças...

- Vem! Vamos brincar!
Rimos.
- Você disse que queria fazer alguma coisa de quando nós éramos crianças, e o que nós fazíamos sem dor nenhuma?
- Brincávamos!
- Então...
- Obrigada por ser preguiçosa!

Reações:

11 comentários:

  1. Eu não fazia a mínima ideia que isso ia virar texto. Só tem uma coisa que você não disse. Essa conversa teve inúmeras interrupções. E a maior delas éra o silêncio. Muito bom, gostei muito de você ter feito tudo isso por min, brigadão mesmo.

    vlw ;)

    "Peu" kkk

    ResponderExcluir
  2. Seu idiota, você sempre sabe que as coisas que me acontecem viram textos. Acho que só não esperava que eu mostrasse tanto carinho nesse texto, :)

    E beijo pra você tb --'

    "vlw ;) " ¬¬

    ResponderExcluir
  3. rararararara ♥

    Beijo pra você também!

    ResponderExcluir
  4. Percebi que por detrás de tantas implicâncias, existe uma ternura fantástica entre vocês.
    São lindos conversando seriamente.

    beijocas :****

    ResponderExcluir
  5. Realmente, a gente faz de tudo pela pessoa que ama, nessas horas 'fazer feliz' se transforma em 'ser feliz'. Lindo

    ResponderExcluir
  6. Você é uma grande amiga, as pessoas ainda não perceberam isso por ai? Eu de tão longe percebi, e achei tudo lindo.. Amo-te! ♥

    ResponderExcluir
  7. ''Quando uma pessoa realmente tem importância, você não desiste dela por nada''...isso é a mais pura verdade, ja passei por isso, por mais que vc ache que não merece vc não consegue desistir.
    Isso foi uma lição Dê, a gente sempre vai aprendendo e amadurecendo com os erros da vida.

    Gostei Mucho.

    Beijossssss

    ResponderExcluir
  8. "Sim, é por preguiça de carregar rancor que perdoo."

    Andressa, essa frase foi de uma felicidade imensa!

    A vi como um jeito bonito de disfarçar a generosidade, sabe?

    Me deixou emocionada.

    Um beijo e uma :t pra ti.

    ResponderExcluir
  9. Awn, que bonito esse texto e a conversa! :D

    ResponderExcluir
  10. Uma cama amarrotada pela passagem do amor
    Lençóis que aprisionam o calor
    Suspiros espalhados pelo chão
    Uma imagem santificada sustenta o louvor

    Uma pecadora ungida pela chuva
    A sorte e a morte em bravata eterna
    As ave marias que uma boca vomita
    Para no céu ser, clemente a sua pena

    Já não há xailes negros na ilha
    Já ninguém liga a agoiros
    O mar continua açoitar a costa
    Deixando despojos, tesouros

    Bom domingo

    Terno beijo

    ResponderExcluir