17 julho 2011

Mais cedo ou mais tarde, tenho certeza!


Eu sei que você sempre quis o meu bem. Sei. Sou bem consciente disso.
Até hoje não entendo muito bem o que aconteceu, mas eu sei que vez em quando os seus olhos verdes ainda aparecem na minha frente. E me dói tanto a sua ausência.  Mas eu sei que sabe que em espírito eu estou com o senhor e o senhor comigo. Mesmo que não dê o braço a torcer. Mesmo que brigue comigo, mesmo que se altere com as coisas erradas que eu fazia, mesmo que se irrite com as minhas opiniões quase sempre diferente das suas, mesmo que eu pergunte coisas sem respostas, mesmo que eu te enfrente sem falar nada, mesmo que eu faça cara feia, mesmo que eu não sorria,  mesmo que fale coisa que eu não goste, mesmo que fique contra minha decisões e que interfira em muitas delas, nada disso importa mais, eu aprendi a amar o senhor como um pai. E quando admiramos uma pessoa, temos que ter a consciência que ela também erra e que a decepção é muito maior nesse caso. Acho que a reciprocidade das nossas decepções foram verdadeiras. Mas nada disso muda o fato de amar você como um pai, e te admirar com um grande homem. E nada disso impede de você me ter como filha, afinal, como o senhor mesmo disse:
" Sabe aqueles filhos que dão mais trabalho? Pois é, a gente aprende a gostar mais deles."

Em homenagem a  Ap. Luiz Henrique
Reações:

16 comentários:

  1. Oi,Andressa!
    Lindo texto, belo relato!empre tem aquele filho que nos dá mais trabalho, que pergunta mais,mas são fases da vida e tudo muda...
    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo, adorei a sinceridade que passou nele.
    Tem um post no meu blog dedicado a você.

    ResponderExcluir
  3. Texto lindo flor...
    Sentimento fraternal assim não nasce todo dia, o que ele disse é em tudo verdade, personalidades em contraste só fortalescem o amor.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Mais uma prova de que amor não se explica.

    Beijo, flor.

    ResponderExcluir
  5. "eu aprendi a amar o senhor como um pai."
    eu tbm minha querida...
    porque é um amor que não se explica..se sente

    ResponderExcluir
  6. Mais uma prova de que amor não se explica. 2
    Lindo, lindo, lindo, do tipo de texto que nos deixa sem ter o que dizer.

    ResponderExcluir
  7. Um relato delicado, doce ... uma prova real de amor. Adorei.

    ResponderExcluir
  8. Andressa minha flor

    Belíssimo texto. Qual o pai que ama menos seu filho?

    beeeeijo moça

    ResponderExcluir
  9. Lindo texto Andressa. Esse amor entre pais e filhos pode ser até cheio de adversidades , mas é o mais sincero e puro que existe.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Esse texto? Um dos mais incríveis que você já escreveu. Lembrei de um admirável homem, que eu considero como um grande pai.

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  11. uau, que texto mais lindo! e a imagem então, falando pra gente esperar? é isso mesmo...

    Beijinhos - e que homenagem mara, hein?!

    ResponderExcluir
  12. Vem comigo novo blog :)
    Beijos meussssssss

    ResponderExcluir
  13. Pensei em colocar essa foto lá no blog hoje, as coisas anda acontecendo assim comigo :(

    ResponderExcluir